Fábia Schnoor

 

 
 

 

Fábia Schnoor nasceu em 1976 no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. 
Tem formação em artes visuais (EAV), arte educação e design (PUC-RJ). Em 2009, participa do curso História e Tempo: História e Cultura da Memória com a professora Margarida de Souza Neves na PUC-RJ. De 2009 a 2012, tem seu trabalho acompanhado pela artista Iole de Freitas no curso Análise e Inserção da Produção Contemporânea, e, em 2012, é selecionada para o programa Projeto Pesquisa sob a curadoria de Gloria Ferreira e Luiz Ernesto, ambos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage –EAV-RJ. Em 2012, é assistente do artista Antony Gormley na montagem do trabalho Amazonian Field – CCBB-RJ. Em 2013, participa do programa de Residência Berlin Im Fokus, em Berlim.


Fábia fez sua primeira exposição individual co- - - >memorar, em 2011 na Galeria Largo das Artes – RJ com curadoria de Martha Pagy. Participou de exposições coletivas no Brasil e no exterior. Algumas delas: Residual Benefits, phICA, Instituto de Arte Contemporânea de Phoenix - Arizona, EUA, 2012;  Abre Alas, A Gentil Carioca, RJ, 2013, com curadoria de João Modé, Alexandre Sá e Daniela Castro; Noite Azul Elétrico, Mendes Wood - SP, 2013, com curadoria de Ricardo Sardenberg;  A Imagem em Questão, EAV, 2013, com curadoria de Glória Ferreira e Luiz Ernesto; Ressonâncias, Künstlerhaus Bethanien, Berlim, 2013. Em 2014 é indicada ao Prêmio Pipa e em 2015 faz a exposição individual LUGAR, no Centro Cultural Candido Mendes - RJ, a convite de Paulo Sergio Duarte que assina a curadoria e o texto crítico. Ainda em 2015 faz a residência ECHANGEUR 22, na França e em 2016 a individual topografia do instante, com curadoria de Keyna Eleison, no Centro Cultural da Justiça Federal – RJ. Em 2017 participa da coletiva A Escola em Transe com curadoria de Lisette Lagnado e Ulisses Carrilho, EAV – RJ e no mesmo ano é selecionada para o projeto Imersões Poéticas, com curadoria de Marcelo Campos e Marisa Florido que resulta na exposição Flutuantes  no Paço Imperial-RJ em 2018.