towards the last unicorn

 
Towards the last Unicorn_01.jpg
 
 
 

If I look around, everyone seems to be in perfect absorption.

What is this space around me?

Why do their eyes vibrate so stagnant to this portable machine? 

Do they even need space to circulate? Maybe there could just be individual boxes.

I look around and I see trees, earth, water.

Is there any water running on their machine? 

What if they are connected to some kind of count-down and they cannot stop looking at the machine?

Can they even hear me? Am I invisible? Is there still earth?

Hello?! Anybody out there?

The Unicorn


55SP apresenta ‘Towards the Last Unicorn ', uma exposição com curadoria de no.stereo e Art Research Map. Foi convidado um grupo de artistas para mostrar trabalhos que serão exibidos na 55SP (espaço físico), mas também online. Assim, o medium imaterial torna-se a mensagem e o mensageiro para um retorno à matéria. 

Novos paradigmas de estilo de vida foram impostos às sociedades globalizadas. Evitar a desconexão e a tecnologia equivale ao risco de entrar num sistema de não pertença. Por isso, como se pode pertencer quando, por pertença nos referimos (agora) a um estado de absorção humana através de dispositivos e telas? Como pensar, neste momento, ou voltar a situar a abordagem sensorial ao mundo em que vivemos? Será que este é meramente visual? Deverá ser utilizada a palavra ‘progresso’ na era de atenção digital (visual)? 

Existe uma urgência em repensar o que significa ser humano, hoje, assim como a importância dos nossos corpos como potência singular da criação. Artistas contemporâneos estão a manifestar a transformação da mente em matéria, repensando o nosso ecossistema, tanto interno quanto externo, como uma nova forma de pertencer. 

A questão permanece - qual a direção viável para o próximo passo? Como só podemos avançar, talvez este movimento signifique uma nova ecologia e a recusa de um de roubo de tempo em contínuo,ou seja, criação de consciência. Rumo ao último unicórnio, conduz-nos numa direção que inclui os três tempos - presente, passado e futuro. esta condução implica um movimento - o presente enquanto possibilidade catalisadora para um kairós. O unicórnio é esta criatura mítica com poderes mágicos, que penetra no nosso imaginário como algo que pode ou não existir. É o pensamento mágico transformado em símbolo, emoji, figura com conotações culturais, que ainda habita um pensamento de possibilidade ligando nosso presente, ao passado e ao futuro. 

Tal como em Blade Runner, o unicórnio de origami faz alusão à possibilidade de criação de empatia num dos replicantes, o unicórnio materializado é a esperança de uma pureza universal da origem. Como um talismã é matéria repleta de pensamento mágico, o mesmo acontece com o gesto do artista que manipula a matéria com o tempo, para lhe dar um significado. 

O vídeo como imaterial surge de uma manipulação matérica, implica uma duração e, por isso, o tempo de visualização. 'Towards the Last Unicorn', é a última chamada à consciência do tempo e da matéria, longe de uma absorção digital distópica, usando essa mesma mídia digital como fonte de comunicação.

Catarina Vaz

Curadoria : no.stereo / art research map

Lista de artistas:

Bob Bicknell-Knight

Daniel Van Straalen

Diogo Evangelista

Gabriela Maciel 

Gioia Di Girolamo

Ivan Divanto

João Paulo Serafim

Mit Borrás

Paulo Arraiano

Virginia Lee Montgmomery


Abertura: 2 de Abril

Periodo Expositivo Offline: 3 a 6 de Abril

Periodo Expositivo Online: 3 de Abril a 1 de junho