PAULO VIVACQUA - OHM 

 
vivacqua_canvas_projeto.jpg
 
 

Paulo Vivacqua apresenta a exposição solo Ohm.

A mostra apresenta uma série de seus recentes trabalhos e lança o multiplo Ohm, derivado da obra homônima apresentada na instalação "The Triple Ohm", na 30o  Bienal de São Paulo em 2012. 

Ohm é um múltiplo que é, a um só tempo, uma composição e um objeto. Uma presença no limiar do que se apresenta plasticamente e a evanescência, efêmera e imersiva, própria do som que se escuta. A densidade sonora e contínua da composição preenche o espaço a sua volta tal como uma caixa de ressonância, tornando o tempo elemento intrínseco do trabalho.

Há um apelo sinestésico e cíclico no cruzamento de diferentes sentidos que regem a corporificação da obra: a sonoridade evoca tanto o sentido meditativo do mantra hindu Ohm quanto a imersão sonora e temporal no cilindro de aço através dos impulsos elétricos que conduzidos pelos fios, quando em reverberação nos falantes, determinam o comprimento e diâmetro do tubo amplificando e condensando o fenômeno acústico, num campo de emanações que alcança o estágio mais abstrato na ressonância do sentido, o signo Ômega Ω, última letra do alfabeto grego, símbolo universal para medição de potência, gravada na  superfície polida como que por vontade do som, não do intelecto. O anúncio de que este sistema é capaz, pelo ecoar de términos e recomeços, invocar todos os estágios da matéria. O som e as formas que produzem som. 

Em uma época de “hipermodernidade”, como classifica Gilles Lipovestky onde: "o tempo é acelerado, se rarefaz, extrapola o mundo do trabalho. Mas também, por outro lado, surgem as construções mais personalizadas dos usos do tempo”.

Ohm é um convite da obra de Vivacqua para ver e ouvir com "atenção plena", estado de consciência tão em voga hoje, onde buscamos lidar com os excessos de demandas e estímulos.  

 

Abertura: 04 de Setembro

Período Expositivo: 05 de Setembro a 11 de Outubro